Você está em: Notícias»Vereadora Franciele Back solicita moção de repúdio à Reforma Política

Vereadora Franciele Back solicita moção de repúdio à Reforma Política

Vereadora Franciele Back solicita moção de repúdio à Reforma Política
A vereadora Franciele Back (PSDB) solicita moção de repúdio à Reforma Política. O voto em lista fechada, candidatura simultânea e fundo para financiamento da democracia estão entre os assuntos debatidos no Congresso Nacional nos últimos dias. Segundo Franciele, da forma como está sendo feita, a reforma vai contra os anseios da população. “A reforma como está reduz o poder de escolha do eleitor, isso é um retrocesso à democracia”. No último mês, a proposta da lista fechada ganhou força no Congresso Nacional, levantando polêmicas sobre o tema em todo o Brasil. A mudança da reforma beneficiaria grande parte dos atuais parlamentares que estão desgastados com a operação Lava Jato da Polícia Federal e consequentemente não ganhariam as eleições em 2018. “O interesse dessa reforma é continuar elegendo os políticos que estão envolvidos na Lava Jato, são os mesmos que não têm mais votos perante o povo e nem credibilidade. Essa é uma forma deles controlarem seus próprios partidos, o que acaba sendo uma forma deles se perpetuarem no poder” comenta a vereadora. Franciele já conta com apoio dos vereadores, Ciro André Quintino, Evandro Carlos Andriette, Francisco Hostins Junior, Francisco Solano Anhaia, José Ademir de Moura e Silvio Cleffi. Assim que for aprovada a moção, ela será encaminhada ao presidente da Câmara dos Deputados, ao presidente do Senado Federal e aos parlamentares da bancada catarinense da Câmara dos Deputados e Senado. Voto em Lista Fechada No voto em Lista fechada o eleitor terá de vota nos nomes dos candidatos de um determinado partido para os cargos de senador, deputado federal, estadual e vereador. O que acabaria com a votação direta nos candidatos a deputado ou vereador. Assim os eleitores então, teriam acesso as listas definidas pelos partidos e terão que decidir em qual lista votar. De acordo com a quantidade de votos recebida, cada partido teria direito a um número proporcional de vagas na Câmara de deputados ou de vereadores. Candidatura Simultânea Hoje cada candidato pode concorrer a um cargo nas eleições. Com a reforma haveria a possibilidade de candidatura simultânea a cargos majoritários. Exemplo, um candidato ao cargo de governador, poderia figurar na lista de candidatos a uma vaga de deputado federal.


© 2017 - Desenvolvido por Lancer